Entrevistas



 Programa De tudo 1 Pouco com Gaby Souza 14/08/2015


Entrevista para Evelyn do Pensamento (In)Stantes!


Alvorada Cultural por Raúl Ernesto Larrosa Ballesta. Bienal Rio 10/09/2015.



Blogger Monte sua Livraria






Sites








Nell Morato Como, quando e por que você começou a escrever?
Comecei a rabiscar por volta de 2006 quando morava fora, os momentos sozinha me faziam refletir sobre os meus sentimentos e minhas ações.

Michelle Paranhos Você gosta de se ater a um único gênero e/ ou estilo literário ou gosta do desafio de variar a cada obra?
Gosto de desafio, não tenho limites e gosto de escrever o que eu gostaria de ler.

Pris Magalhães pra você, o que qualifica uma obra de qualidade?
Aquela que reúne: coesão, coerência, conteúdo, e que tenha autenticidade.

Susana Silva Mencione características que todas as suas personagens têm de ter.
Susana querida, daí é complicado, porque os meus personagens são o que devem ser de acordo com o meio que os influencia. Então, não tenho uma regra.

Luiz Amato Como você reage às críticas (caso ocorram) sobre os seus textos?
Há um ano eu ficava triste, hoje eu rio. Mas existem algumas que servem de alerta para melhorar o trabalho.

Ironi Jaeger Alguma vez você aprendeu algo com uma crítica? Se aprendeu, isso mudou seu jeito de escrever?
Então, como eu disse acima, sim. Hoje tenho uma nova visão e uma outra forma de desenvolver os meus escritos.

Marcelo Gomes Faça o resumo de si em 1 palavra...
Autêntica!!

Marluce Barros Qual o primeiro passo, o título ou o texto?
Não tenho uma regra para isso. O escritor é livre para conduzir sua obra da forma que achar necessário.

Neyd Montingelli Já aconteceu de surgir uma ideia para um texto (poesia, conto, romance), longe do seu local de escrita e até voltar para casa tenha perdido o conteúdo?
Sim, acontece sempre e até já me acostumei com isso Neyd, memorizo o essencial e quando chego em casa passo para o papel. Ou as vezes anoto até em guardanapo. É muito gostoso, prazeroso todo esse processo.

Neyd Montingelli Gosta de escrever textos de época? Já escreveu? Como surgiu essa ideia?
Neyd como eu já disse aqui, não possuo regras, e gosto de ser livre, mas gosto sim de escrever aquilo que eu gostaria de ter vivido, e até mesmo épocas que eu acredito que fosse adequada para mim.

Paula Lessa Qualquer um pode escrever um livro?
Paula, sim. Podemos ser o que queremos. Porém, quando escolhemos alguma coisa, devemos nos dedicar, estudar, estudar e estudar para fazermos o melhor. Não há “sucesso” quando não nos entregamos de coração e alma naquilo que fazemos.






ENTREVISTA:
1.Gislaine Oliveira Você se preocupa com a mensagem que passará aos seus pequenos leitores? Se sim, você tem medo de dar uma de "tio chato", como se quisesse dar lição de moral? Como você faz para equilibrar a diversão da leitura e o papel social da literatura?
Gislaine, esse é o meu primeiro infantil. Nunca pensei em escrever para criança. Comecei a rabiscar depois que a minha sobrinha nasceu. Ela me inspirou muito, mesmo eu sendo professora e trabalhar com o jardim e fundamental I. Mas, vi o quanto é difícil fazer algo para eles, quanto minucioso é. Todavia, eu gosto de escreve como se fosse um fábula... deixo mensagens subliminares para não ser chata. Não sei se pretendo continuar nesse gênero.

2.Gislaine Oliveira Qual sua maior preocupação quando escreve para aqueles que ainda estão se formando como pessoas/leitores?
Como eu escrevo para a minha sobrinha, sempre abordo assuntos, como: respeito ao próximo, educação, paciência, tudo o que é necessário para uma pessoa viver em sociedade.

3.Gislaine Oliveira Você escolheu escrever para a garotada ou simplesmente aconteceu? Se foi sua escolha, por que escolheu trabalhar com esse público?
Aconteceu, e não sei se pretendo continuar.

4.Paula Lessa Quando escreve para uma criança, você se transporta para o mundo delas, ou seja, sentisse um pouco criança?
A criança dentro de mim nunca morreu. Sempre tenho o meu momento infantil eu me permito a isso. Pois o ser criança equilibra a dureza de ser adulto. Então, é algo bom e tranquilo e eu vivo no meio deles.

5.Luana Karoliny O que você (escritor) pensa da nova geração de jovens? Porque uma boa parte dos jovens brasileiros 80%(chutando o número) não gosta de ler ou nunca se quer pegou em um livro, o que pensar desses jovens e como chama-los para o mundo em que vivemos, esse mundo tão lindo que é a leitura?
Então, Luana tudo é questão de habito e cultural. Isso acontece porque não há uma campanha realmente voltada do governo para que os seus eleitores leiam e se tronem críticos.

6.Carla Póvoa Qual a temática mais evidente na preferência dos jovens? Por quê?
Carla pelo o que eu observo, está mais para aquilo que foge da realidade, e nessa faixa de idade já é de natureza eles pensarem que são super-heróis e porque não ler sobre isso?

7.Carla Póvoa Por que nossos jovens estão tão presos à literatura estrangeira?
Porque a literatura estrangeira é feita para Holywood, tem todo uma jogada exagerada de marketing/ publicidade. E outro motivo é que somos “geração coca-cola”, acreditamos que o jardim do outro é sempre mais bonito e florido de o nosso.

8.Cláudia De Villar É importante fazer cursos de escrita criativa para produção de livros infantis? Por quê?
Cláudia o curso de escrita criativa é importante para qualquer gênero, não somente para criança. E muitas das vezes não é qualquer um que escreve para eles. O escritor que quer escrever para criança, já possui dentro de si uma essência para isso.

9.Milla Souza como definir o que é infantil?
Interessante essa pergunta. Com certeza você terá várias definições, mas acredito que o bom senso é primordial. Infantil é a pureza e clareza na resolução de problemas.

10.Isabella Ingra Na sua opinião, qual o papel do escritor brasileiro?
Escrever com qualidade e mostrar que aqui também existem escritores tão bons quanto os importados. Assim como passar conteúdo e informações que possam agregar fundamentos em sua educação.

Extra:
Geraldo Medeiros Jr. Uiara, boa noite, é um enorme prazer estar aqui ao lado de uma celebridade. Antecipo meu parabéns por toda a sua arte, seja escrita, seja musical. Por que será que ainda exista tanta resistência em relação aos autores contemporâneos ? Sei que esse é um assunto recorrente, mas pra mim é ainda um grande mistério.

Acredito porque no brasil a "profissão" escritor sempre esteve em um patamar de difícil alcance. Hoje podemos ver que não. Essa enxurrada de escritores não seria um problema se todos agregasse seriedade ao trabalho. E por falta de profissionalismo etc, a literatura passou a perder a qualidade e credibilidade. Então, existes a necessidade do resgate de boas história e obras. Isso também vem da falta de critério dos leitores, e também porque a população leitora maior hoje no Brasil é da infantojuvenil e podemos constatar que se a qualidade do ensino vai de mal a pior, imagine o gosto crítico desses leitores? Aceitam qualquer coisa sem piscar.

Ironi Jaeger Boa noite Uiara Melo...O que te da mais alegria escrever para adultos ou para crianças?

Acredito serem momentos diferentes e prazeres diferentes. Então, ambos me dão alegria naquela expectativa a qual foco a minha ideia e energia.





Nenhum comentário:

Postar um comentário