quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Comentário sobre o Dirty Dancing Remake 2017

Olá, boa tarde.
Se você é de 1980 vai entender o post. Se não é, pesquise.
Agora cuidado que tem spoiler e haters não irão gostar do meu comentário.

Dirty Dancing Remake 2017

Dirty Dancing 2017.png

Frio na barriga me deu quando fiquei sabendo dessa versão para tv da ABC. Ninguém merece ¬¬

Desculpe se tem alguém que gostou, mas eu sou das antigas e acredito que não deve mexer no que é bom.

Logo no início o susto, porque não fizeram o trabalho direito com a tela azul/verde. Fundo horrível.

A Abigail Breslin mesmo que tenha feito o filme “Miss Sunshine”, não convenceu como a Frances/Baby, ficou forçado e muito caricato. Mas dois pontinhos para ela, por ter ao menos tentado.

Fizeram esse remaker com a ideia da Frances/Baby ter escrito o livro “Dirty Dancing” que virou um musical. Sem pé nem cabeça.

Digo que é uma versão bizarra do clássico.

O ator Colt Prattes como Johnny Castle, não sei o que dizer sobre. – R.I.P Patrick!

Agora os personagens cantam além de dançarem. Não, não é HSM.

A menos pior nesse filme é a cantora/dançarina Nicole Scherzinger, a ex do Lewis Hamilton.

O filme traz algumas referências do filme “Salsa- ritmo quente” – se você não viu, corre para ver. É com o Rob Rosa, aquele dos Menudos.

A Abigail Breslin infelizmente não dança, enfim.

Essa versão do Sr. Kelleman, sem comentários.

O pai da Baby, Dr. Jake Houseman, interpretado pelo ator Bruce Greenwood, só lembro dele atuando no filme na NetflixJogo Perigoso. Já fez filmes melhores!

Lisa, irmã mais velha da Frances/Baby - interpretada pela atriz Sarah Hylandnessa- nessa versão não está tão boba com na outra.

Acrescentaram um personagem, Marco, não sei de onde vem e para onde vai. É só alguém para contracenar com a Lisa.

Sempre que a Nicole Scherzinger entra em cena, fico esperando o restante das Pussycat Dolls com a música “Don’t Cha”.

Infelizmente a Abigail Breslin poderia ter sido mais original.

Johnny nessa versão não tem um carro para quebrar o vidro, ele tem uma moto.

O figurino da Frances/Baby, terrível.

Essa versão traz o divórcio dos pais da Baby.  Não sei para quê. No outro não tinha nada disso.

Sra. Marjore cobra do marido uma “sarrada”. Tadinha.

Sra. Marjore conversando com a “piriguete” Vivian?  Não entendi.

O momento 1,2,3,4 não foi com o Johnny, mas com a Penny (Nicole Scherzinger) que cantarolou.
Empoderamento feminino?

A família Houseman toda canta!!!

Lisa tem uma nova paixão, o Marco, e não o garçom otário que engravidou a Penny.

Sra. Marjore cantando para salvar o casamento. Não é o HSM, não tem o Zac Efron.

O foco na primeira versão era a Frances/Baby, nesse é a família Houseman. Sendo assim, a Baby já pode ficar de lado. “Senta lá Claudia”.

Toda vez que o ator Bruce Greenwood entra em cena, já espero o cão vindo atrás.

Quem é Marco?

Lisa procurando pela Baby? Baby, deu “perdido” com o Johnny. (kkk)

Aborto, casamento, divórcio, dança, canto, etc... tudo nessa versão.

Frances/Baby contando para Lisa que foi para cama com o Johnny? Ela era mais reservada.

Cena clássica: “Meu espaço, seu espaço” não tinha beijo!

Na primeira versão é um casal de velhos usurpadores de carteira, nessa Johnny é preso por ter um rolex ganho da “piriguete” da Vivian.

Sinceridade é o forte da Baby e ela conta para todos que dormiu com o Johnny.

Sr. Houseman realmente recebeu um upgrade. Antes ficava sentado na varanda do chalé de frente para o lago pensando na vida. Agora ele vai para o estúdio de dança, toca piano e canta.

Se a Frances/Baby não fazia ideia que o pai tinha essas habilidades, imagine eu!

Momento final – UFA!!!

“Ninguém coloca a Baby de lado!” Johnny Castle

Lisa dessa vez, não faz quadradinho de 4 e não desafina. Dá aquele showzão ao lado do Marco

Quem é Marco?

Ah, o Johnny entra pelo salão e lá vem aquele final fodão!! ¬¬ #sqn

Johnny nessa versão diz que ama a Baby. Ah, porque não deixou isso para nossa imaginação?

Frances/Baby e Johnny Castle cantam e dançam “Time of my life”? Ah, para! Foi o fim!

Quase explodi de empolgação, mas faltou o “quase”.

Daí volta para a primeira cena onde ficamos sabendo que a Frances/Baby casou, teve uma filha e foi até o teatro ver o musical escrito por ela e encenado por Johnny. – Brochante!!!

Parava na música que já estava bom!

O chato é que sempre pedimos o depois das histórias que gostamos, daí quando esse depois chega, é terrível.

Não peçam mais o depois! Vamos deixar somente nas nossas imaginações.

Ah, esqueci de falar do ex da JLO o Casper Smart como Billy Kostecki aquele que aparece todo purpurinado no clipe "Dance Again".  Não foi tão significativa a sua participação, mas deve ter contribuído para as coreografias.

Enfim, foi uma junção de Will and Grace, Dance Again, Moder Family, Miss Sunshine, Jogo Perigoso e Pussycat Dolls em um único filme.  Deu nisso, personagens não interpretados de forma correta e atores caricatos.

Não gostei nem das versões das músicas. 

Essa foi e será a única versão de qualidade. 
Resultado de imagem

Até a próxima!