terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Texto - "Maré Baixa" por Uiara Melo

Olá pessoal para movimentar o blogger segue mais um texto autoral.
Espero que gostem.

"Maré Baixa"
por Uiara Melo



O vento soprava tão fino, que o mais desatento poderia afirmar ouvir um assobio. Naquela manhã o horizonte estava acinzentado, sem muito brilho. Claudia por sua vez esperava ansiosa o seu esposo Marcos voltar de mais uma pescaria. Toda vez que ele adentrava ao mar, o seu coração que ficava à espera, se contraía ao ponto de doer as costelas. Não era fácil para eles, mesmo juntos os dois compartilhavam de uma solidão ímpar. Claudia nunca fora positiva a essas viagens, mas era o que sustentava a sua família. Mas naquela manhã tudo fora diferente, o pesqueiro não voltara na hora marcada, a cada minuto de espera naquele porto, era uma angustia tamanha, pois a única coisa que te sustentava era o “Te amo” sussurrado pelo seu esposo na madrugada anterior ao pé de seu delicado ouvido.

Porém certa vez, ela ouvira dizer que o grande mar gostava de levar aquele por quem fosse apaixonado, mas Claudia nunca dera ouvidos à tamanha tolice. Ora, veja se isso podia ser verdade. Entretanto, a pequena vila de pescadores ultimamente colecionava mulheres viúvas, mas que drama presente. Mesmo enrolada em todas aquelas fazendas, o vento soprava tão fino que “agulhava” a sua frágil pele. Os seus maxilares davam o compasso ao som que era extraído de seus dentes rangendo de frio. Já passava do meio dia quando as gaivotas já não aplainavam aquele lugar, alguns pescadores a fitavam de longe sabendo que algo de pior poderia ter acontecido. Começou a chuviscar, molhar cada milímetro daquele píer, se a chuva não apertasse seria um alívio, mas ela apertou fazendo poeira no ar.

- Querida venha, ficará doente se continuar aí. – Disse uma mulher próxima a ela.
- Eu o espero sempre que ele volta do mar, e hoje não será diferente. – respondeu Claudia apesar da longa espera ainda muito otimista.
- Não seja tola menina. O mar está revolto impossível eles atracarem. – justificou a mulher.

 Cláudia sem responder continuou lá, a sua fé era tão grande, que por sua certeza poderia desfazer qualquer maldição ou encanto. Agora já era tarde, não poderia fazer mais nada, a única coisa que lhe restava era voltar para casa. Cláudia caminhou em passos lentos, e a cada gritou no píer ela pensara ser o Marcos e o seu coração se enchia de emoção, mas quando checava com o olhar, a sua decepção tomava lugar.

 Dois dias depois e nada do Marcos voltar, ela então se esforçava a lembrar de cada palavra dita por ele durante esses cinco anos de união. Claudia e Marcos sempre foram muito juntos, juravam e juravam amor eterno, viver sem o outro era algo impossível, mas a Claudia hoje soluçava por cada minuto sem ele. A sirene soou Claudia então, correu para o porto, as suas pernas não conseguiam correr de acordo com a sua vontade e por isso, vários tombos foram vistos, mas se refazia após cada um. Assim que chegou ao píer, era tudo mentira, não era o pesqueiro do Marcos, e sim um teste de rotina feito pelo técnico.

 Claudia então, sentou-se à beira do mar e deixou que as suas águas lavassem os seus arranhões, pois quem sabe, ele não perceberia que a amada do Marcos o esperava e o devolvesse enfim.  Entretanto, não seria tão fácil assim, o mar não se contentava com pouco sempre queria mais daquele que o desafiava, Claudia decidiu então naquele dia entrar mar e ir atrás do seu amado, não sabemos o que de fato aconteceu porque ninguém mais soubera do Marcos e da moça Claudia.

Fim.

20 comentários:

  1. Primeiro a coincidência: meu primeiro grande amor se chama(va) Marcos e vivemos uma bela história, levada não pelo mar, mas por minha então "pueril ignorância" sobre o era de fato o amor...mas enfim...
    "Maré baixa"...que história de amor linda Uiara. Meio supersticiosa "ela ouvira dizer que o grande mar gostava de levar aquele por quem fosse apaixonado...", mas ao mesmo tempo tão real sabe. Fiquei pensando em quantas histórias de amor são interrompidas por conta de tragédias, fatalidades, etc. Como diz Renato Russo em "Vento no Litoral": "agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou...".
    O final meio lenda, meio suspense "Claudia decidiu então naquele dia entrar mar e ir atrás do seu amado, não sabemos o que de fato aconteceu porque ninguém mais soubera do Marcos e da moça Claudia", meio "Romeu e Julieta"...gostei viu! Me fez refletir sobre o amor, a valorização do que temos nas mãos, seja em forma de tempo (finito),seja em relação às pessoas.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudia, sinto me lisonjeada pela visita e o maravilhoso comentário. Você sempre inspirada, fico muito feliz por isso.
      Só tenho a agradecer.
      Pois é, quantos romances o amar já não interrompeu? Quantos ele tbm já não viu florar.
      O amor tem dessas coisas, as vezes abstratas e as vezes concretas.
      E o que dizer da paixão que faz arder a alma.
      Mais uma vez obrigada pela visita.
      Beijão.
      Uiara Melo

      Excluir
  2. Olá, como vai?
    Que texto mais lindo, quem nunca teve um amor de verão que atire a 1ª pedra.
    Pobre Claudia, não saber o que aconteceu e porque aquela pessoa tão amada não voltou é triste demais pra superar, demarcar cada sentimento da sua memória em busca de pistas é pior ainda.
    Parabéns pelo mini conto. Eu adorei, claro e misterioso como o mar.
    Beijo
    https://qadulta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poliana, vou bem e vc?
      Fico muito feliz por ter gostado.
      O retorno do leitor é de extrema importância.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  3. Oi Uiara, tudo bem?

    Adorei o seu texto/ conto, estã muito bem escrito.
    Relatar um amor que se deparou com um dificuldade em pleno verão é muito sábio. Creio que a dúvida do que aconteceu e os possíveis "e se" afetam mais o ser humano d que qualquer outra coisa. Temos a necessidade de saber o real, o que realmente aconteceu. Adorei o desfeco do texto, acho que a atitude dela foi bem parecida com muitas por aí, que não suportam a falta do amor e remoem por muito tempo as últimas palavras. Amei, Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice, seja bem vinda.
      Interessante como eu não coloquei a estação, mas você e alguns outros leitores pensaram nela no verão. Na verdade eu escrevi pensando nos dias cinzentos e chuvosos. Enfim, pois é quantos amores o mar já levou, e o pior é a incógnita que fica na vida de quem espera.
      Mas a vida tem dessas coisas.
      Muito obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Uiara Melo.

      Excluir
  4. Ola uiara! Tudo bom?
    Gostei imenso do seu texto! Muito ao género de lenda ou mito ❤️
    Toda a incógnita deixou me intrigada, todo o mistério à volta do final! Parabéns ❤️

    Beijinhos,
    Mii
    Https://thycomiclife.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana, bom dia.
      Fico muito feliz por ter gostado viu.
      Volte sempre para ler os outros, será muito bem vinda.
      Obrigada pelo comentário e visita.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  5. Ótimo texto querida, meus parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia e obrigada Adriana pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  6. Gostei muito do seu texto, nas verdade sou fascinado por contos. E esse prendeu minha atenção, o protagonista tem o nome do meu irmão e a história é arrebatadora. Parabéns pela escrita, seu texto está sensacional!

    www.franklinsousa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia e obrigada pelo comentário.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  7. aiai amores de verão <3 hehe
    seu texto está ótimo! Adorei :)

    bjs http://devaneiosdeslocados.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Camila.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre!
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  8. Texto maravilhoso! Parabéns pela reflexão que nos leva a fazer com seus textos.
    Att

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  9. Texto incrível. Seu blog é lindo e sua escrita envolvente.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andy, bom dia.
      Muito obrigada pela visita e comentário.
      Espero vê-la aqui mais vezes.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  10. Oi Uiara,

    Parabéns pelo texto! Dá para ver que você tem talento e é bastante atenta aos sentimentos das pessoas. Achei sua narrativa fluida e cheia de ternura! Além disso, nos faz refletir!

    Abraço, até mais

    https://prologodaleitura.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maritza, bom dia.
      Muito agradecida pelo comentário e visita.
      Tento melhorar cada vez mais a minha escrita para apresentar à vocês um ótimo trabalho.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir