segunda-feira, 8 de agosto de 2016

E se amanhã fosse o seu último dia? - Uiara Melo

Bora, de leitura?

E se amanhã fosse o seu último dia?
Macaé, 18 de maio de 2016

Natália acreditava que viveria para sempre, mas desde a semana passada passou a sentir incômodos contínuos em seu ventre. Para ela, as dores seriam normais, já que sempre as sentia como anúncio antecipado da pior semana do mês. Mas dessa vez era diferente.  Resolveu, então, procurar a sua ginecologista para saber do que se tratava, apesar de uma pequena e sutil certeza que já se acomodava em seus pensamentos, e a alertava de algo mais sério. Em um desses devaneios enquanto seguia até o consultório, leu uma frase escrita em um muro de uma casa qualquer: “E se amanhã fosse o seu último dia? ”.

Natália repetia a frase como um mantra – aquilo lhe fazia sentido – até chegar ao consultório ginecológico. Ao entrar, identificou-se e sentou-se para aguardar. Quase uma hora depois ela foi chamada à sala com paredes cor de mel, onde tinha uma mesa de vidro e, atrás dela, uma moça próxima da meia idade. Do outro lado, uma maca ginecológica, com aquele par de porta-coxas horrorosos.

Ela sentou-se na cadeira e começou a responder as perguntas que lhe foram direcionadas. Depois de muito falar, se queixou dos tais incômodos e então, a médica solicitou para trocasse a roupa por um avental aguardando em um minúsculo banheiro dentro daquele cômodo. Assim que saiu do banheiro, se dirigiu até a maca e deitou-se nela. A maca estava fria, o que a fez se perder no tempo. Porém, despertava sempre que sentia os pequenos incômodos, enquanto a médica a examinava. Passados alguns minutos a ginecologista fez uma pausa e buscou em sua mente palavras para reformular a seguinte frase: Natália, e se amanhã fosse o seu último dia?

Natália ficou perplexa com a coincidência vivida e constatada naquele exato momento e tentou formular rapidamente uma resposta lógica, coerente e sensata, mas não conseguiu. A ginecologista, sem a sua resposta, pediu para que ela trocasse novamente de roupa e que voltasse para finalizar a consulta.

Natália saiu daquela posição tão frágil, exposta, e foi trocar-se. Logo depois, sentou-se à mesa juntamente com a médica e ficou aguardando os próximos passos. Foi entregue-lhe um monte de pedidos de exames, o que a deixou preocupada - se amanhã fosse o seu último dia, ela não precisaria fazer nada daquilo.

Saiu do consultório com a bolsa mais pesada, assim como os seus pensamentos, e foi para casa. À noite, deitou-se em sua cama e repousou a sua consciência em seu travesseiro:  E se amanhã fosse o seu último dia? Então, seria besteira perder tempo dando importância a essa dor.

Quinze dias depois ela retornou ao consultório com os exames em mãos, e entregou à ginecologista que, em silencio, examinou minuciosamente cada detalhe. Sua expressão era preocupada. Porém, antes que ela pudesse esboçar qualquer palavra, Natália se antecipou e disse:

- Se amanhã fosse o meu último dia, eu simplesmente morreria na profundeza do meu ser que se desfaleceria no encanto do amanhecer.

Natália soube que estava com câncer no colo do útero e que o “amanhã” não seria de fato o seu último dia, mas sim, o início dele ou talvez não.
Amor e Luz


28 comentários:

  1. Me arrepiei com essa narrativa. Eu conheci uma "Natália". Ela teve câncer de colo do útero e 2 anos depois ela morreu. Parecia impossível uma mulher tão linda e com tantos sonhos morrer assim.
    De repente essa história real me veio a mente depois de ler esse texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, boa tarde.
      Nossa Marylin que coisa, né. Fiquei surpresa ao ler o seu comentário. AS vezes a arte imita a vida. Agradeço pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Bjs, Uiara Melo.

      Excluir
  2. Gostei bastante, Uiara, achei realmente bem escrito ;)

    Lembrei da seguinte pílula urbana, "Deu no jornal: o mundo acaba amanhã. pensa em ligar pra ela, encontrar, aproveitar esse tantinho de vida. não. nem a pau. ela que ligue"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitor. (rsrsrsrs) ela que ligue!!!
      Pois é, o que você faria se o mundo acabasse amanhã? Eu não faço ideia do que eu faria.
      Mas a vida é assim, as vezes temos que pensar no improvável.
      Fico feliz por ter gostado.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  3. Texto bem profundo, adoro textos assim, que te fazem refletir a cada frase...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andressa seja bem vinda. Obrigada pela visita e comentário.
      Abraços,
      Uiara Melo.

      Excluir
    2. Nossa, que texto tocante! Realmente me fez refletir, não deve ser fácil passar essa mensagem para o público, parabéns.

      Excluir
    3. Oi Camille obrigada pelo comentário e visita. Quando escrevemos com o coração acabamos não esperando nada do texto e é exatamente esse quem mexe com leitor.
      Muito obrigada e volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo.

      Excluir
  4. Olá!
    Realmente, o texto é maravilhoso da primeira á ultima página. Sua gramática é impecável, e você soube construir uma linha do tempo na velocidade certa. Ao mesmo tempo em que a estória é triste, nos faz pensar sobre o que faríamos se amanhã fosse o NOSSO último dia. E fiquei amenizado por constatar que não consegui chegar a um resultado; espero que, pensando nisso, consiga chegar á algum lugar.

    Abraço! E parabéns, novamente, pelo texto. Já estou seguindo e favoritando, para ler outros :D
    https://lupiliteratus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabio, seja bem vindo.
      Obrigada pelo comentário e os elogios, as vezes é disso que um autor/escritor precisa para dar um gás na caminhada.
      Acontece tantas coisas em nossas vidas, que geralmente não paramos para pensar no amanhã. E se o amanhã acabasse amanhã? O que faria? Eu provavelmente iria para a beira da praia ou ficaria em casa sem fazer nada.
      Mas enfim, volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo.

      Excluir
  5. Que maravilha de texto, parabéns! Tô seguindo o blog :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thayanna, tudo bem? Seja bem vinda.
      Muito obrigada pelo comentário e visita. Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  6. Sua estória é maravilhosa e sua gramática impecável. Parabéns! O texto é bem profundo, gosto de textos assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniel, tudo bem?
      Obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo.

      Excluir
  7. Realmente, muito intenso, profundo...
    Fiquei a pensar nisto, o que faria se amanhã fosse o meu último dia. Mas acho que não vale nem pensar, né?
    Beijos!

    Pseudo Psicologia Barata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bea. Obrigada pela vista e comentário.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  8. Que texto bacana!
    Às vezes, esse tipo de texto é necessário, nos faz refletir!
    Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, estou muito feliz por sua visita e comentário.
      Volte sempre e visite outros textos.
      Muito obrigada.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  9. Perfeito e seu texto me fez refletir e perguntar a mim mesma o que faria se amanhã fosse meu último dia.
    Talvez faria como a Natália, - Se amanhã fosse o meu último dia, eu simplesmente morreria na profundeza do meu ser que se desfaleceria no encanto do amanhecer." Emocionada aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Pois é, a vida passa tão rápida que não pensamos no amanhã. Gosto muito quando escrevo sem pretensões e o texto de alguma forma toca o âmago do leitor.
      Obrigada pela visita e comentário.
      Abraços,
      Uiara Melo
      Volte sempre!

      Excluir
  10. Sem palavras para comentar esse conto, rs! Rindo de nervoso e imerso em um misto de tristeza pelo câncer de Natália e revolta por essa médica sem noção. Onde já se viu uma médica fazer uma pergunta dessas no meio de uma consulta ginecológica! Affff, se sou eu, kkk

    Enfim, é sou um conto... Parabéns, Uiara, muito bem escrito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rob, que bom vê-lo por aqui novamente.
      Então, em algum momento iremos nos deparar com situação adversas. E essa foi a da Natália. Talvez a médica quisesse despertar nela o amor próprio a vontade de fazer algo que valesse a pena, e muita das vezes só fazemos isso quando nos confrontamos com situações fora da zona de conforto.
      Muito obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Uiara Melo

      Excluir
  11. Muito bacana. História de final real. Nem sempre as histórias da vida são com final feliz né?! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bom dia de domingo.
      Fico feliz por ter gostado.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  12. Triste e realista...
    Excelente escrita!
    Temos que viver intensamente cada dia, pois o amanhã pertence somente a Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suellen, seja bem vinda.
      O futuro não nos pertence, mas precisamos viver mais, amar mais e parar com os problemas.
      Muito obrigada pela visita e comentário.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo.

      Excluir
  13. Oie, tudo bem? Que texto mais incrível. A história descrita em cada linha, a emoção, a escrita, cada palavra escolhida construiu um texto bem profundo. Temos somente uma vida e devemos usá-la da melhor forma possível. O que deixaremos se formos embora hoje? Será que plantamos uma boa sementinha? Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Érika, seja bem vinda.
      Fico tão feliz quando um texto mexe com o leitor. É felicidade 1000 mesmo eu não ter escrito para essa finalidade. Mas obrigada pelo comentário e visita.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir