segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Conto Dona Cacau - Uiara Melo

Olá, para o dia das Crianças deixo aqui um conto muito legal e muito doce. :)

imagem internet


DONA CACAU
Uiara Melo/2015

  Tudo começou com um simples bater à porta. Certa manhã um menino chamado Júlio um grande aprendiz de escoteiro, bateu a porta de uma casa no sertão de Alagoas. Ele esperou por alguns longos minutos até a porta se abrir e se mostrar atrás dela, uma senhora de cabelos como algodão toda lambuzada de chocolate, isso mesmo, chocolate. O menino levou um susto ao ver aquela senhora a te fitar.

_ Se não me trouxe chocolates, pode voltar! _ tom rabugento
_ Calma senhora, me chamo Júlio e, vim oferecer estes deliciosos biscoitos de nata. _ total simpatia
_ Deixe de me amolar menino, passa fora daqui pois, tenho muito o que fazer.
_ Mas senhora, eu tenho que vender todos esses pacotes _ apontou para o seu carrinho_ A senhora, não pode comprar só um para me ajudar?
_ Esses moleques saem de tão longe para me perturbar. _ resmungou_ Só como chocolates! _ desdenhou
_ Mas na sua idade esse tipo de doce deve fazer muito mal a sua saúde.

  A senhora bateu a porta na cara do menino. Júlio não teve outra coisa a fazer senão, ir embora insatisfeito. Uma semana depois, o menino retornou a bater naquela porta novamente. A senhora que era esperta espiou através do olho mágico e disse:
_ Não tem ninguém em casa!
_ Oras, como não? Sou eu o Júlio, vim oferecer o mais novo biscoito feito de aveia pelos melhores e mais dedicados escoteiros da região. _ comentou empolgado
_ Ah seu moleque, lá vem você me vender essa porcaria de novo?
_ Porcaria? A senhora está chocolatadamente enganada!
_ Você está zombando de mim?
_ Não, claro que não. Eu respeito os idosos aliás, os nossos biscoitos são muito saudáveis.
_ Volte outro dia, tenho muita coisa para fazer.

   O menino voltou para casa sem conseguir vender se quer uma caixa de biscoito naquele dia. Júlio ficou muito curioso para saber o que tanto tem para fazer aquela senhora toda lambuzada de chocolate em sua residência. Passara-se uma semana e Júlio ainda não tinha atingido a sua meta com os biscoitos e sendo assim, a sua chance de conquistar a medalha de persuasão estava praticamente no fim. Enquanto tomava o seu café da manhã, teve uma brilhante ideia ao ver o pacote de biscoito do sabor chocolate encima da mesa.

_ Já sei! _ exclamou

   Júlio pegou uma caixa no seu carrinho de vendas, colocou-a encima da mesa e triou todas as fileiras que ficavam acima substituindo por biscoito de chocolates. Entusiasmando como a sua façanha, ele se arrumou e rumou para a casa da tal senhora. Assim que chegou encheu o peito de coragem e determinação, e sopapeou a porta mais uma vez.

_ Você de novo aqui?! _ disse a senhora ao abrir a porta minutos depois
_ Ah, mas hoje trago-lhe uma novidade. _ respondeu com um largo sorriso em face
_ Mais uma de suas porcarias, acertei?
_ Aham, mas só que dessa vez é de, CHOCOLATE!
_ Hum, não sei. _ disse desconfiada
_ Veja como estão saborosos. _ disse mostrando os biscoitos superficialmente       
_ Preciso provar antes de pagar!
_ Como assim? Isso não é justo, são somente 5 reais. _ disse estendendo uma das mãos logo depois.
_ Mas eu tenho que provar!
_ Esperta a senhora, aí eu deixo a senhora comer um e depois diz que não gostou e eu ficarei no prejuízo?
_ 5 reais é muito caro!
_ Caro?! Eles são tão saborosos que 5 reais é barato, eu ainda estou fazendo um desconto especial para a senhora. _ argumentou                                                                    
_ Vamos fazer um trato então, eu preciso de um ajudante e você precisa vender essas porcarias, certo?
_ Sim.
_ Você me ajuda e em troca, eu fico com os biscoitos.
_ Mas a senhora irá me pagar por todas as vinte cinco caixas?
_ Você vai querer ou não?
_ Só se a senhora me pagar 50% adiantado claro por que como vou te ajudar, não terei tempo para vender os meus deliciosos biscoitos.
_ Está bem, entre. E tem mais uma coisa, pare de me chamar de senhora, o meu nome é Cacau.
_ Nossa mas que trocadilho legal, Dona Cacau lambuzada de chocolate. _ resmungou enquanto rumara para dentro da casa da senhora Cacau.
_ Não toque em nada, ouviu bem? Vou buscar os seus 50%.
_ Está bem.

  Júlio ficou confuso com tanta coisa naquela pequena sala, a dona Cacau gostava de colecionar objetos coloridos, o qual chegava a ser bizarro. Entretanto, Júlio não pensara que o chocolate só continha em uma caixa, as outras eram de nata e aveia, isso com certeza iria dar um "problemão".

_ Aqui está o seu dinheiro. _ disse a dona Cacau
_ E aqui estão as suas vinte cinco caixas. _ entregou depois de colocar o dinheiro no bolso
_ Certo, depois irei comer todos. _ disse entusiasmada
_ Mas em que posso ajuda-la?
_ Você verá algo já mais visto por alguém além de mim. _ tom de suspense
_ A senhora não matou ninguém não, não é?
_ Oras menino tolo. _ respondeu a risadas _ Venha?!
Dona Cacau, o conduziu até a parte dos fundos de sua residência, o local era uma espécie de estufa climatizada, e pelo caminho o menino poderia sentir o aroma delicioso de chocolate.
_ Aqui está a minha cidade de chocolate.
_ Mas... – o menino Júlio não teve palavras para expressar o seu estado maravilhado.
_ Eu estou construindo-a desde os 10 anos, o meu pai quando vivo me deu essa estufa de presente.
_ Mas por que a senhora nunca trouxe alguém aqui?
_ A crianças não gostavam de brincar comigo então, preferi brincar sozinha.
_ Caramba! A senhora não fica enjoada com tanto chocolate, não?
_ Eu como as vezes mas eu gosto mesmo é de mexer com eles. E como a cidade já está bem grande, as vezes não consigo fazer a manutenção necessária.
_ Ah, então é por isso que a senhora precisa de mim?
_ Digamos que sim.

 Júlio ficou empolgado por ter sido escolhido pela dona Cacau, e a partir daquele dia os dois viveram grandes aventuras naquela cidade de chocolate. Ah, mas já não esquecendo, as caixas de biscoitos que não eram de chocolate, Júlio passou um sufoco com a dona Cacau quando ela descobriu e se sentiu enganada. Porém, o menino como um bom escoteiro conseguiu convencê-la de que aqueles biscoitos dariam uma bela e linda ponte em sua cidade de chocolate.  Depois disso, Júlio nunca mais deixou de frequentar a velha casa no sertão de Alagoas.

*respeite os Direitos Autorais!!

12 comentários:

  1. Ah, que lindo!
    Adoraria também passear nesta cidade de chocolates, rs.
    Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cássia, seja bem vinda.
      Que bom que gostou. Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  2. Nossa, bastante inusitada esta história! E também fui surpreendido com o final, rs.

    Muito bom, Uiara, adorei como se tivesse comido uma barra inteirinha de chocolate branco, o meu preferido, kkk

    Até o próximo comentário.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Uiara!
    Gostei muito do conto e da palavra "chocolatadamente"! No final o Júlio acabou se dando bem com a dona Cacau e ela que não teve amigos, na infância, encontrou nele um companheiro para suas aventuras.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;)
      Obrigada mais uma vez pelo comentário.
      Volte sempre.
      Uiara Melo.

      Excluir
  4. Esse texto me lembrou muito aquele remake do filme "A Fantástica Fábrica de Chocolate" Com Johnny Depp dando vida ao icônico Willy Wonka. Quem não queria entrar numa cidade assim? O ruim de ler esse conto é que estou de dieta e agora deu uma baita vontade de comer chocolate kkkkk.

    Parabéns pelo texto e sucesso!

    ResponderExcluir
  5. Olá Rob, obrigada por comentar.
    Pois é, eu tbm adoro chocolate. Eu iria adorar estar no lugar do Júlio.
    Abraços.
    Volte sempre.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pelo Conto!
    Estou gostando muito de ler contos ultimamente e este conto me lembra de algumas coisas do passado e dá uma sensação de dejavu ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi que bom que gostou e te trouxe sensações boas.
      Volte sempre.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir
  7. Oi, menina me imaginei no lugar do Julio e bateu aquela vontade de comer chocolate rsrs
    Adorei o conto, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renally, que bom que gostou.
      Volte sempre que quiser.
      Abraços,
      Uiara Melo

      Excluir