domingo, 15 de fevereiro de 2015

Reflexão - Sermão da Montanha/ Conselho Julga os outros/ Até que a vida os separe

Reflexão 

Por Uiara Melo

Sermão da Montanha

" Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus! Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de Mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós."
(Mateus, 5:3-12)

Conselho - Julgar os outros

" Não julgueis, e não sereis julgados.[9] Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos. Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu? Como ousas dizer a teu irmão: Deixa-me tirar a palha do teu olho, quando tens uma trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão."
(Mateus, 7:1-5)

Até que a vida os separe

Fragmento tirado do livro ATÉ QUE A VIDA OS SEPARE de Mônica de Castro. O que fazer quando você ama um filho e rejeita outro, mergulhando na culpa sem encontrar explicações para os seus sentimentos? Pág. 42.


" ... Que só nascemos na mesma família porque estamos ligados de alguma forma, seja pelo amor, seja pelo ódio?
- Não necessariamente, embora isso seja o mais comum. Mas há casos em que o espírito que vai reencarnar não teve nenhuma outra relação com seus novos familiares. Isso acontece por vários motivos. Pode ser porque não haja mais ninguém disposto ou disponível para recebê-lo como filho, e ele aproveita a oportunidade de nascer em outra família. Pode até ser mero oportunismo mesmo: o espírito que nasce de qualquer jeito e aceita as únicas pessoas que estão dispostas a recebê-lo. Mas tudo isso é feito com muito respeito e livre arbítrio. Não se impõe nada a ninguém. Os espíritos, tanto dos pai quanto dos filhos, devem estar de comum acordo. Do contrário, nada lhes será imposto. Receber um espírito estranho, muita vezes pode ser bem difícil, porque os laços de sentimentos estarão se iniciando naquele momento. Mas pode também ser muito fácil, porque a ausência de pendências anteriores, aliada a uma afinidade de pensamentos e propósitos, pode tornar a convivência muito harmoniosa e prazerosa. Seria mais ou menos fazer uma amizade."


Reflexão:

    Bom pessoal, eu li o livro citado acima, e vi a importância de se refletir sobre ele e compartilhar com vocês, pois as vezes estamos em uma família em que a convivência entre seus membros é conflitante, pais ditadores, filhos rebeldes e etc. Penso que tudo tem seu motivo, como sempre dizemos: "Não somos obrigados a gostar de ninguém." Mas querendo ou não, agimos por afinidades, no qual pode se estar dentro do nosso circulo familiar ou fora dele. Então devemos deixar as coisas fluírem de forma mais tranquila possível, sendo mais tolerantes, para a nossa própria convivência.
    Quantas vezes deixamos de lado, os detalhes mais importantes de nossas vidas, e somos egoístas querendo sempre mais, mais e mais. A ganância, a cobiça, a soberba, são pecados mortais, e cega as nossas vistas para não enxergarmos o que há de mais precioso em nosso lar, que é a família (pai, mãe e filhos), hoje já não tradicional assim, mas continuam sendo uma família. Principalmente digo àqueles que já são pais, os que ainda serão, seus filhos são gerados no mais profundo sentimento que é o amor de mãe, que vai se conquistando, crescendo a cada dia de sua gestação, quando a criança nasce, ela não tem nada formado em questão de conceitos, valores, ética, amor, tristeza, alegria... e os pais existem para que cada fase de seu desenvolvimento, possam estar contribuindo para esse futuro, adolescente e adulto. 
     Por isso que pequenos detalhes que para muitos são insignificantes, como: festas na escola, colo quando se precisa, estar presente em decisões importantes para o seu filho, dar lhe segurança, possibilitá-lo a ter liberdade de expressão, são fundamentais para que aconteçam os diálogos entre ambos, sem mentiras, falsidades. Caso você não se deixe envolver dos melhores sentimentos e momentos do seu filho a qual ele poderá lhe proporcionar ainda criança, o mesmo quando estiver com 18, 19... anos, não será obrigado a lhe dar quaisquer atenção, satisfação, amor e carinho. Visto que se lá no começo, você mesmo não se permitiu conhecer ou se quer conhecê-lo.O que tem que mudar é essa modernidade da educação desenfreada familiar. Que culpa a falta de tempo para justificar a má educação dos seus filhos. Mentira, a realidade de hoje são esses projetos de filhos de pais "hipes" como diz Içami Tiba em um de seus livros. Muitas crianças se acham "gatos" na posição de se sentirem reis.
    Quando fazemos a passagem divina, o que levamos, são os mais profundos sentimentos que conquistamos aqui em vida, o amor, e a felicidade. O dinheiro, o carro novo, a casa dos sonhos, o perfume importado, isso tudo fica aqui, não levamos nada. É triste quando paramos para pensar nas pessoas que não falamos mais, pessoas as quais brigamos por coisas tolas, e pessoas as quais tentamos ser donos (não somos donos de ninguém). Então amem, mas amem muito seus filhos as pessoas que estão ao seu redor, para que depois não se arrependam do que não fez. Pois a criança que você é hoje será o seu pai amanhã. Não cometas erros, não deixes que o egoísmo, a ganância suba-lhes a cabeça. Faça com o seu filho o que você gostaria que fizessem com você.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário