domingo, 17 de janeiro de 2010

Enfim o meu vizinho foi dormir

  Já era tarde da noite quando resolvi abrir a janela do meu quarto, devido o calor que estava fazendo neste dia. Fazia tempo, que eu não via o mundo pela janela do meu quarto. Notei que muitas coisas haviam mudado desde então. As árvores da minha infância já não existiam mais, dando lugar a casas semi-terminadas e aos arranha-céus. E nesse observar da vida além de mim, não pude deixar de olhar uma sacada do prédio ao leste da minha janela. A porta estava aberta e as luzes acessas, com certeza teria alguém acordado assim como eu.

  E olhando vi uma sombra se movimentando dentro daquele cômodo. Corri para buscar o meu binóculo, para ver melhor, já que não tinha nada para fazer mesmo. Passaram-se minutos e minutos, nada. O sono estava chegando. -É melhor eu ir dormir - pensei. Sai da janela e fui trocar de roupa. Assim que voltei para cama, dei uma ultima olhada. E lá estava ele - o vizinho do leste-. Suspirei ao ver aquele belo corpo nu, na beira da porta.

- Safado. - falei baixinho para mim mesma.

  Continuei a olhar. De repente ele olhou em minha direção e bateu com as mãos. Fiquei sem graça e me escondi atrás da cortina. Dei um tempo ali. Voltei a olhar logo depois, e ele estava fazendo atividades físicas em pelo.

- Mas, que merda é essa! Esse homem é tarado, só pode. Fazer essas coisas de porta aberta. - resmunguei sem tirar os olhos de lá.

   Ele parou, pegou uma toalha e passou por todo o seu corpo suado, me levando a delírio. Não posso negar que já estava ficando ofegante. Ele era muito descarado, sempre olhando em minha direção, como se quisesse me provocar. O telefone tocou, fui atender. Felizmente era engano, desliguei e retornei a janela. Ele não estava mais lá.

- Oras, para onde ele foi? - Pensei

   Resolvi deitar me na cama para esperar ele voltar. Fechei os olhos e a imagem dele em pelo veio em minha mente, acabei cochilando. E nesse breve cochilo sonhei que ele havia entrado em meu quarto, me pego de jeito e me possuído de uma forma sensível, mais gostosa. Acordei ofegante. Fui até a janela, para dar a ultima olhada. E lá estava ele de novo, só que de uma forma diferente. Ele estava sentado em uma cadeira de frente para mim. Imaginem o que ele estava fazendo (rs)? Ele estava se acariciando, corpo todo molhado, me provocando. Eu excitada, aproveitei o embalo e me acariciei também. Ele gemeu alto que do meu quarto escutei, mas, eu estava muito ocupada para olhar. Eu cheguei ao ápice do meu deleite. Assim que recuperei o fôlego, voltei para a janela. E lá estava ele, colocando uma toalha envolta do corpo vindo até a sacada. Ele olhou para mim e sorriu. Eu acenei timidamente de volta. Ele então, gesticulou como se estivesse chamando. Eu me fiz de desentendida e não respondi, e isso foi um sacrifício. Ele insistiu várias vezes, mas não fui. - Ele é tarado.- minha mente me alertava. Dei-lhe um leve sorriso. O vizinho então, entendeu como um tchau, entrando apagou a luz e enfim o meu vizinho foi dormir. Eu satisfeita e feliz, fechei a minha janela e fui dormir também.

Autora: Uiara Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário